Vantagens e desvantagens da energia solar

Vantagens e desvantagens da energia solar

A energia solar é uma energia alternativa, renovável e sustentável que funciona utilizando a luz solar como fonte de energia e pode ser aproveitada e utilizada por diferentes tecnologias, como: aquecimento solar, energia solar fotovoltaica e energia heliotérmica.

LEIA MAIS:
Medição tridimensional: o que é e qual sua função
Centro de Usinagem 5 eixos: o que é e como funciona
Torno CNC: O que é e como funciona

O conceito de energia solar é comumente associado à energia fotovoltaica, que é a geração de energia elétrica usando a luz do sol como fonte de energia. Portanto, pode-se dizer que energia solar e energia fotovoltaica são a mesma coisa.

Na energia solar fotovoltaica, quando a luz do sol é captada por painéis solares, ocorre a transformação da corrente elétrica para utilização em residências, comércios e indústrias.

Em meio a 80 milhões de consumidores no Brasil que veem a energia elétrica dia mais cara, instalar um sistema fotovoltaico é um desejo de boa parte dessa população.

No entanto, pelo alto valor, optar pela tecnologia fotovoltaica não é uma simples questão de compra, mas sim um investimento de médio/longo prazo.

Sendo assim, conhecer e analisar as vantagens e desvantagens da energia solar não é somente por aquisição de conhecimentos, mas é algo importante para todos os interessados em migrar para essa tecnologia.

Desvantagens da energia solar

Apesar de aparecer como desvantagem, será possível perceber que algumas destas são relativas e outras, ainda, poderão futuramente ser remediadas com tecnologias despontando agora nos mercados internacionais e que devem chegar em breve ao Brasil.

Valor do investimento

A aquisição e instalação de um sistema fotovoltaico, quer ele seja conectado à rede (On-Grid) ou isolado (Off-Grid), pode representar um valor de investimento inicial considerado “alto”, já que sistemas conectados de 1.500 Watts, por exemplo, custam em torno de R$ 10.000,00.

Por outro lado, visando atender à necessidade dos consumidores, surgiram no mercado medidas para contornar essa dificuldade.

Os consórcios de energia solar e financiamentos subsidiados, juntamente com bancos públicos e privados que disponibilizam linhas de crédito especiais para investimentos em recursos sustentáveis são recursos extremamente favoráveis para o setor de energia fotovoltaica.

Além dessas facilidades, o importante a ressaltar aqui é que a aquisição do sistema fotovoltaico se torna um investimento, uma vez que ele irá trazer um retorno financeiro ao seu proprietário ao longo dos anos, na forma de desconto na conta de luz.

Assim, quando comparamos a compra do sistema com outras aplicações financeiras, podemos ver que produzir a sua própria energia se torna mais vantajoso que outros investimentos como, por exemplo, o tesouro direto.

É válido lembrar também que a instalação de um sistema fotovoltaico pode reduzir em até 95% seus gastos com energia elétrica, ou seja, com o passar o tempo o investimento é facilmente recuperado e passar a gerar “lucro”.

Geração intermitente de energia

Um dos aspectos que você deve saber é que não há geração de energia durante a noite. Como os módulos fotovoltaicos precisam da luz do sol para converter a energia solar em energia elétrica, todos os sistemas fotovoltaicos só geram energia durante as horas do dia em que há irradiação solar.

Trata-se, então, de uma fonte intermitente, ou seja, aquela que não pode ser fornecida continuamente devido a fatores não controláveis.

Então, nuvens e chuvas, por influenciarem na quantidade de luz que chega até os painéis, alteram a quantidade de energia elétrica gerada pelo sistema fotovoltaico.

Os sistemas fotovoltaicos diferem-se entre dois tipos: conectados à rede (On-Grid) e Isolados (Off-Grid).

Nos sistemas isolados, para poder se aproveitar da energia do sistema durante a noite, é necessário a utilização de um banco de baterias, que será calculado conforme o consumo local e utilizado para armazenar a energia gerada durante o dia.

O problema é que a tecnologia atual das baterias comercializadas aqui no Brasil (estacionárias, de Níquel Cádmio) não possui grande vida útil quando comparada a do sistema (7 anos contra 25, aproximadamente), são caras e ainda exigem manutenções frequentes.

Por esse motivo que os sistemas conectados à rede são os que mais se espalham pelo país. Nesses, a energia gerada no dia e não consumida é injetada na rede e emprestada à distribuidora, a qual então devolve essa ao consumidor na forma de créditos energéticos.

Mudança estética do local

A instalação das placas para energia solar (módulos fotovoltaicos) nos telhados de imóveis residenciais e comerciais pode alterar a fachada original do local que receberá o sistema.

Por isso, é muito importante que na hora de se instalar um gerador fotovoltaico, os pareceres de arquitetos e engenheiros sejam ponderados, para se obter o melhor custo x benefício para ambos, dessa forma balanceando as vantagens e desvantagens da energia solar.

Novos imóveis que contemplam soluções em sustentabilidade na fase de projeto, já possuem seus telhados projetados com as direções e inclinações adequadas para receber o sistema fotovoltaico (telhados com a face voltado para o Norte, por exemplo).

Essa medida é muito importante, pois demonstra a total integração entre o projeto arquitetônico e o projeto elétrico civil. No entanto, a quantidade final de placas solares em uma residência ou empresa depende diretamente do consumo do imóvel a ser atendido.

Vantagens da energia solar

Agora sim, listadas as desvantagens da energia solar fotovoltaica, partimos para as suas vantagens que, como poderão ver, ofuscam qualquer uma de suas “falhas”.

Energia sustentável

A primeira vantagem do sistema fotovoltaico de energia solar é que esse tipo de gerador utiliza da mais abundante, gratuita e eficiente fonte de energia disponível. O Sol.

O Brasil, país tropical localizado entre a linha do equador, recebe uma quantidade absurda de radiação solar todos os anos, capaz de gerar mais energia do que poderíamos consumir.

Isso torna o sistema fotovoltaico extremamente vantajoso e confiável pois, diferentemente de outras fontes geradoras, como por exemplo, a hidrelétrica ou à carvão e gás, o fotovoltaico depende exclusivamente da luz solar, fonte renovável e inesgotável.

Além dessa segurança da energia solar, a sustentabilidade inerente à geração limpa de energia é algo crucial nos dias de hoje, castigados pelos efeitos do aquecimento global e, portanto, quanto mais consumidores puderem gerar sua energia de forma limpa, mais chances teremos de reverter essa situação.

Não há ruídos e poluição

A geração de energia pela tecnologia solar fotovoltaica é totalmente silenciosa, pois utiliza um processo fotoquímico, e não mecânico, para gerar energia elétrica, chamado de efeito fotovoltaico e que ocorre silenciosamente dentro de cada uma das células que compõem o módulo.

Isso significa que você pode instalar as placas solares (módulos fotovoltaicos) em qualquer lugar, sem incomodar os vizinhos e sem gerar dejetos ou poluentes nocivos à saúde e ao meio ambiente.

Agilidade e facilidade de instalação

O prazo médio das instalações residenciais são de 2 a 3 dias. Desde a visita inicial à empresa de energia solar até ter o sistema instalado, são 8 simples passos até a instalação completa.

Já a instalação de um sistema fotovoltaico é rápida e descomplicada. Na maioria dos casos, as placas solares e o inversor grid-tie são fixados em estruturas já existentes nos imóveis (madeiramento e alvenaria, respectivamente) e, quando necessário, requerem apenas pequenas adaptações, como por exemplo, a fixação de eletrodutos e quadros elétricos de distribuição.

O funcionamento do sistema também é descomplicado. Uma vez instalados e averiguados todos os componentes, o inversor já pode ser configurado e ligado, e assim começara a gerar toda a energia elétrica projetada pelo sistema.

Manutenção quase inexistente

Quando bem projetado e instalado, o Solar exige baixa manutenção tanto preventiva, quanto corretiva.

Comparando a aquisição de um carro, que exige uma manutenção periódica, os sistemas fotovoltaicos, embora estejam lá, funcionando e gerando energia 12 horas por dia, necessitam de uma manutenção muito baixa.

A principal delas, e que pode ser feita pelo próprio consumidor, é a lavagem dos módulos a cada 6 meses, mas isso só no caso deles estarem muito sujos, o que não é frequente visto que eles possuem uma película antiaderente que previne o acúmulo de sujeira.

No caso da poeira, a própria água da chuva se encarrega de levar embora, porém, em caso de poluição ou excremento de pássaros, a limpeza é simples e necessita apenas de um jato d’água e uma vassoura de cerdas macias.

Fora esta, a manutenção elétrica do sistema também é necessária, porém com bom menos frequência, apenas uma vez ao ano, e que garantem a otimização da geração do sistema.

Nessas são averiguadas as condições de atuação dos dispositivos de proteção, como disjuntores e fusíveis, e já são suficientes para garantir o ótimo funcionamento do sistema fotovoltaico.

Vida útil do sistema

Um sistema solar fotovoltaico possui mais de 25 anos de vida útil, gerando energia elétrica limpa, sustentável e de qualidade, sem prejudicar o meio ambiente.

Financeiramente, o solar é extremamente viável, já que o retorno monetário por decorrência da instalação de um sistema é rápido.

Em linhas gerais, um sistema solar fotovoltaico instalado em uma residência se paga em até 6 anos após sua instalação. A partir dessa data, todo o retorno financeiro passa a ser lucro, pelos próximos 19, 20 anos ou até mais, pois ainda após esse período, os módulos permanecem com cerca de 80% de eficiência.

Fonte: BlueSol

Deixe uma resposta