Usinagem fotoquímica

Usinagem fotoquímica

A usinagem fotoquímica (UF) diz respeito a criação de imagens gravadas ou recortadas em desenhados utilizando um processo informatizado que expõe folhas finas de metal para produtos químicos leves e variados.

LEIA MAIS:
As máquinas CNC da Indústria 4.0
Hábitos importantes dos líderes de sucesso
O papel das redes sociais para a indústria

No ramo industrial, as empresas podem utilizar a moagem fotoquímica em um processo virtual, em qualquer tipo de folha de metal, incluindo o alumínio, o latão ou cobre, juntamente com níquel e a prata.

As técnicas de usinagem fotoquímica usadas nesse processo, podem produzir desde delicados componentes eletrônicos, implantes médicos, até gravuras extremamente complexas. A química rudimentar no processo de gravação usa o ácido cítrico há milhares de anos.

O processo de usinagem fotoquímica

Normalmente, os engenheiros criam a imagem desejada por meio de um software de computador (CAD).

Quando usado para o corte de partes específicas, os técnicos replicam esse padrão em colunas e linhas que formam várias imagens em uma tela. O computador transfere a imagem à película laminada que tem uma base de Mylar® e um revestimento de emulsão de prata.

Antes da usinagem fotoquímica, o metal escolhido é submetido a um processo de limpeza completa, o que garante uma maior adesão à película fotográfica. Depois de ser limpo com uma solução diluída, a folha passa por uma lavagem com água e um processo de secagem e aquecimento.

Na usinagem de um recorte de metal completo, apenas um lado do metal deve ser coberto com filme durante a gravação ou ataque químico. Os técnicos especializados em metais laminados usam um rolo seco ou método mergulho.

Além disso, utilizam também câmaras durante este processo para garantir o alinhamento do metal apropriado e da película. O laminado e os fotolitos correspondentes entre si formam idênticas dimensões.

O método envolve a passagem do rolo do metal, e a laminação requer ambientes livres de contaminação e eliminação de possíveis bolhas de ar.

O procedimento implica no mergulho do metal em um filme líquido que será cozido numa estufa para endurecer a película. O processo fotoquímico continua através da exposição do metal laminado a luz ultravioleta de alta intensidade, e o endurecimento da imagem nos fotolitos.

Após a exposição, os técnicos expõem o metal laminado na solução de revelação, que remove qualquer laminado subdesenvolvido. Via uma correia transportadora, o metal laminado entra numa câmara forrada com bicos de pulverização posicionados acima e abaixo do transportador.

A decapagem a quente com sprays de ácido dependerá apenas do desenho desejado. O ácido dissolve o metal não coberto com laminado sem deixar arestas ou alterar a qualidade do artigo. Este passo no processo de usinagem por meio da fotoquímica cria a imagem acabada formada sobre o desenho CAD.

A peça passará por uma lavagem com água e ficará exposta a uma solução de extração, que remove qualquer laminado restante. A folha ainda passará por uma lavagem final de água, seguida por secagem por ar quente. Os técnicos podem utilizar microscópios para uma inspeção final como um meio de controle de qualidade.

Fonte: Mecânica Industrial

Deixe uma resposta